Garantia e Confiabilidade

Garantia não é um número aleatório, mas o resultado de um bom planejamento.

O diferencial que sua organização precisa para se destacar no mercado.

Recentemente, ao questionar um fabricante de autopeças diesel sobre a razão de apresentarem uma garantia de seis meses, fui surpreendido com a informação de que esse seria o padrão adotado pela empresa e por outras do setor. Se o concorrente oferecesse uma cobertura maior, eles ofereceriam a mesma cobertura.

De fato, tempo de garantia não é um numero aleatório, mas o subproduto de um planejamento adequado, desde a concepção de projeto até o acompanhamento da utilização pelo cliente. Garantia é consequência.

Por melhores que sejam o projeto e o programa de controle de qualidade, sempre haverá uma variação inerente ao produto e aqui serão aplicadas as ferramentas de confiabilidade com a finalidade de estabelecer as probabilidades e qual o comportamento será esperado na utilização do item. Enquanto estatística descreve o comportamento médio da amostra de itens produzidos, a confiabilidade analisa o comportamento nos extremos da curva de distribuição, nos limites entre resistência x carga. Pode parecer simples, mas uma série de critérios deve ser considerada e um profissional experiente em análise de confiabilidade é indispensável.


Consegue distribuir as probabilidades de falha do seu produto?

Um exemplo típico é a Função de Distribuição Cumulativa, mais conhecida como “Curva da Banheira”. É comum associar o primeiro terço da curva com falhas prematuras, o segundo terço com o comportamento normal, uma taxa de falha constante, e o terceiro terço com falhas associadas ao desgaste acumulado, ou final de vida útil. Porém, como foi dito, confiabilidade busca o comportamento nos limites: Onde pode ser considerado o final da fase de falhas prematuras? Quais as diferenças entre dois componentes que falharam no período de taxa de falha constante, um mais cedo, outro mais tarde, na linha do tempo? Devo considerar os componentes que chegaram à fase de desgaste dentro dos cálculos de garantia, uma vez que já cumpriram seu tempo de vida útil esperado por projeto? Por que alguns componentes continuam operando muito além dessa faixa?

Ter um programa de garantias bem estabelecido tem um custo considerável, que pode ser diluído e compartilhado entre os processos envolvidos, mas o retorno é imediato, refletido em cada produto fornecido. Essa é a diferença entre ser bem percebido pelo mercado ou perder uma excelente oportunidade de aperfeiçoar seu produto e lucrar com isso. Afinal, sabemos que qualquer negócio visto como não efetivo ou que adicione pouco valor aos consumidores será deixado de lado na disputa pelo mercado.

45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo